M'A'L EVANGELISTA
O complexo da existência na essência da poesia
CapaCapa TextosTextos FotosFotos PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Perfil
Nome Artístico... 
MAL EVANGELISTA

 
O enigma...

M
iguel
A lves de
ima
 
Um dia, neste complexo planeta onde a matéria ocupa várias formas e estados físicos, existiu um homem cujo estado, matéria e espírito, se confundiram com poesia, uma definição peculiar observada pela obra de arte representada pelas suas ações diluída na sua caricatura.

Miguel Alves de Lima! Meu avô, um grande homem formado pela natureza, um POETA inefável, a quem eu tenho a honra de homenagear com as iniciais de seu nome contrastando ao nome artístico que me intitula.

Desta forma, passo a me reportar como o poeta M.A.L EVANGELISTA.


QUEM SOU...


Sou poeta matemático, que calcula com as letras, que se expressa com os números talvez seja pragmático na poesia universal.

Desta forma simplesmente, simbolizo uma equação, coração junto com a mente são o xis dessa questão.

Que expresso com a alma, letra e número que acalma,  lendo as linhas desta palma, nas digitais de minha mão.

Numa linha tem a vida e na outra tem o amor na poesia traduzidas, transformados em sabor.

De matemático, sou poeta!!!"




O ISTMO ENTRE O QUE SOU E O QUE NÃO SOU


Não fosse o desejo de ter,
Me bastaria simplesmente a vida...
Um ser desnudo no mundo,
No entanto,
Sem a alma ferida

No íntimo do istmo de mim mesmo
No ser, do não ter, do meu esmo
No encontro daquilo que não se encontra
Eu seria eu, desnudo, mas tendo tudo

Talvez cego, surdo e mudo...
Porém, a par de tudo!
Norteado pelas palavras que me inspiram e ecoam nas cavernas mais obscuras
De um lado, falando...
De outro, calando...

Na ruptura do meu eu, comigo mesmo
Aquilo que não sou eu, e nem é meu... Deixaria de existir
No abalo sísmico deste meu lesmo
Eu seguiria o compasso das batidas do meu coração

Então,
Me desligaria dos meus continentes
E seria apenas eu
Do mundo... Desnudo,
Mas tendo tudo!
Exceto...

O desejo de ter.